Cammino Digital

Como vender moda online? Um passo a passo completo

Com que roupa eu vou? Todos os dias antes de sair de casa precisamos pensar nisso, não é? A não ser que você tenha o guarda-roupas do Steve Jobs…

Segundo dados da pesquisa Webshoppers 2017, o segmento de moda e acessórios ainda segue invicto, liderando as vendas online com 14,2%!

O mercado da moda é bem dinâmico, novas peças são lançadas a cada semana e embora existam muitas lojas online, as que se destacam são aquelas que oferecem um diferencial, seja ele um bom atendimento, boa experiência online, boa qualidade das peças, bom preço, ou melhor: tudo isso junto!

Se você tem interesse em vender moda online, estou aqui para te ajudar! Prepararei um passo a passo, com dicas para você iniciar seu Ecommerce e arrebentar nas vendas.

 

1 – Definindo seu nicho

Definir seu público é o primeiro passo para seguir no rumo certo. Qual será o seu público alvo? Defina se venderá atacado ou varejo.

Você é indústria e gostaria de vender para outras lojas? Neste caso, o seu foco seria um Ecommerce B2B – em um post anterior, listamos 6 vantagens de se ter um Ecommerce B2B que você pode acompanhar lá algumas boas sacadas.

Caso opte pelo varejo, é necessário que defina bem seus fornecedores de acordo com o seu público e políticas comerciais do fornecedor.

Uma coisa importantíssima para se ter em mente: loja de roupa para “todos os gostos” não é a melhor aposta. Nicho é tudo!

Foque em um setor, por exemplo: masculino casual, feminino jovem, roupa infantil barata, bolsas de alto padrão, sapatos femininos de numeração alta, acessórios para moda praia, plus size masculino, e assim por diante. Quanto mais específico, melhor!

Quanto mais nichado, maiores as chances de ser relevante para o público certo e você ter menos concorrentes.

 

2 – Meus fornecedores

Caso opte por vender no varejo, tenha em mente que seus fornecedores precisam ser seus maiores parceiros. O que levar em conta na hora de escolher um fornecedor?

 

É preciso que tenha essas informações bem definidas para não passar aperto ao precisar repor seu estoque!

 

3 – Preciso de uma plataforma. Como ela deve ser?

Uma das principais decisões ao optar por vender online, é a escolha de uma boa plataforma de Ecommerce. Dependendo do seu segmento, características do negócio e o tipo de plataforma que você adotar, você pode ter mais ou menos sucesso, crescimento e lucratividade a longo prazo.

Mas como decidir entre plataformas “Open source’, “On premises” e “SaaS”?

Vamos explicar resumidamente cada uma delas:

SaaS – É a abreviação de “Software as a Service” que significa “software como um serviço”. Nessa modalidade, se paga um valor estipulado para usar a plataforma, como se fosse um aluguel. Pagou usou, e se deixar de pagar, você tem o seu acesso encerrado.

On-Premises – este tipo de plataforma precisa ser adquirida através de uma licença de uso do código. É um modelo mais tradicional entre grandes empresas devido à certas garantias e controle sobre o próprio código.

Plataformas Open Sources – São plataformas desenvolvidas por comunidades de programadores que disponibilizam o código para download e utilização gratuita.

Por serem plataformas de código aberto, como o Magento, por exemplo, elas podem ser modificadas e aprimoradas por qualquer empresa que possua qualificação técnica para isso.

No post “Qual plataforma de Ecommerce escolher“, explico em mais detalhes as vantagens e desvantagens de cada uma.

 

4 – Boas fotos e descrição rica em detalhes 

Um fator que diferencia uma boa de uma má experiência de compra, é a forma como as informações são fornecidas na loja.

É preciso uma atenção especial nas descrições, informações detalhadas sobre tecidos e medidas, assim como boas fotos, diferentes ângulos e zoom nos detalhes.

Uma excelente opção, é gravar pequenos vídeos com uma modelo vestindo as peças de roupa, pois assim o cliente terá uma noção de como veste no corpo, caimento do tecido e ideia de medidas.

Você ainda pode pedir o desenvolvimento de algum recurso que sirva como “Guia de Medidas” para as suas clientes entenderem o tamanho das peças que estão prestes a comprar.

 

Quanto mais informações relevantes puder colocar sobre o item, maiores as chances de venda!

 

5 – Tem 1ª troca grátis?

Quando estamos vendendo online, é uma obrigação você ter políticas claras sobre as trocas e devoluções.

É comum hoje as lojas oferecerem a primeira troca grátis. Ou seja, mesmo que o produto esteja em perfeito estado, você vai ter que lidar com a troca de mercadoria por alguma insatisfação da cliente. Para o lojista, este envio chamamos de Logística Reversa, onde você deverá gerar um código de postagem para que a sua cliente envie o produto sem custos para ela.

Além de ser uma boa prática do Ecommerce, a logística reversa ainda dá mais segurança ao consumidor, sabendo que se a roupa ou o calçado não servir, tem o direito de trocar facilmente, sem burocracia. Para 89% dos compradores de lojas online, a política de devolução é fator determinante para a compra

Tão importante quanto as políticas de frete e devolução, é primordial que o atendimento seja excelente tanto na compra quanto em casos de devolução. O consumidor deve ter um prazo limite para que possa experimentar o produto e fazer a logística reversa sem custos.

 

6 – Instagram é regra

Estamos todos conectados, o tempo todo (que atire a primeira pedra quem discordar). Ficamos antenados aos acontecimentos, queremos acompanhar as marcas que gostamos, interagimos com pessoas que nos identificamos.

As mídias sociais servem para aproximar as marcas de seus seguidores, e isso hoje em dia é algo bem simples e com muita possibilidade para ser trabalhado!

Muito mais que publicidade, as mídias sociais são canais de interação e comunicação com os clientes.

O Instagram, por exemplo, tem grande poder de atração e divulgação de marca e produtos. Para moda ele é ideal.

Você pode divulgar peças novas, clientes vestindo suas roupas e até mesmo pedir opinião sobre os novos lançamentos.

Dica: Comece a movimentar o Instagram, faça stories, publique conteúdo original e crie sua audiência. Você vai ver que é por lá que vão acontecer suas primeiras vendas.

 

7 – Google Shopping, seu novo aliado

É através do marketing (e por causa dele) que seus clientes encontrarão sua loja virtual! Uma agência especializada em Ecommerces poderá traçar estratégias para aumentar a visibilidade de sua empresa no ambiente digital.

Em um ambiente onde a concorrência é grande e a maioria das visitas são provenientes de mídias sociais e mecanismos de busca como Google, uma divulgação estratégica e bem direcionada é extremamente importante!

O Google Shopping, vitrine de produtos patrocinados que o Google exibe logo do topo dos resultados de busca, é um importante aliado para gerar tráfego qualificado e fazer seus produtos serem vistos por potenciais novos clientes.

Aqui o investimento é feito sempre que houver um clique no seu produto e você aparece apenas para quem fizer buscas relacionadas ao seu produto, otimizando a sua verba.

 

Além disso, campanhas em mídias sociais, e-mails marketing e até mesmo o SEO (otimização para mecanismos de busca) do seu Ecommerce, farão toda diferença no desempenho, tráfego e conversão da sua loja.

 

Outras dicas

Além dessas dicas para iniciar seu empreendimento online, gostaríamos de deixar mais algumas aqui que podem ser um diferencial para o seu negócio:

Acompanhe sempre as tendências: a sazonalidade pode influenciar bastante no comportamento do consumidor, por isso, esteja sempre antenado e antecipe-se no que for possível! Participe de eventos, acompanhe os editoriais de moda e novidades do mercado online.

Ofereça diferenciais no atendimento: invista no SAC multicanal, onde os clientes possam entrar em contato por onde for mais cômodo para ele. Seja por e-mail, WhatsApp, telefone ou redes sociais. Importante que o atendimento seja rápido e solícito, é a empatia que fará diferença na escolha do cliente.

Fidelize seu cliente: personalize as embalagens, envie um bilhete afetuoso dentro do embrulho, crie programas de fidelização, trate-o com individualidade. Clientes são e gostam de se sentir importantes!

 

Concluindo…

Conhecendo um pouco melhor estes passos para começar a vender online, dá para perceber que, embora sejam trabalhosos, não são complexos e há possibilidade de começar aos poucos.

Espero ter conseguido explicar um pouco sobre o Ecommerce de moda e que você tenha muito sucesso.

Bons negócios!

Share on Facebook7Share on Google+0Tweet about this on Twitter0Share on LinkedIn0
publicado por Renato Cruz em 26 jun 18