Cammino Digital

WhatsApp para vendas: usar ou não usar?

O desenvolvimento acelerado de novas ferramentas de comunicação obriga as empresas a ficarem atentas a todo o instante. Mais que isso: precisam se adequar e preparar suas estratégias para o uso dessas ferramentas em um curto tempo para não sair atrás da concorrência. Foi assim com a popularização da internet e das redes sociais e, agora, é assim com o WhatsApp, o aplicativo de mensagens mais usado em todo o mundo.

Muitos empreendedores têm quebrado a cabeça a respeito de como incluir o aplicativo no atendimento ao cliente e no processo de vendas. Bem, você provavelmente já gastou algumas horas no celular lendo mensagens úteis (e muitas inúteis), não é? Então, gaste um pouquinho do seu tempo agora e veja se deve usar ou não o WhatsApp para vendas. Vamos lá!

Por que usar WhatsApp para vendas?

Ele é multimídia

O WhatsApp permite enviar textos, áudios e imagens de forma muito fácil para seus contatos. Este recurso pode ser usado para enviar imagens de produtos, catálogos ou áudios com algumas mensagens pré-gravadas, agilizando muito o atendimento aos seus clientes.

Gratuidade

Outro benefício do WhatsApp é a possibilidade de contatar gratuitamente os clientes sempre que for necessário, seja para responder à solicitação de um produto, confirmar um pedido ou enviar promoções especiais aos usuários do aplicativo. Adotá-lo pode reduzir alguns custos com telefonia e deixar o atendimento mais rápido e simples nesses casos.

Acessibilidade

Como já citamos, o WhatsApp é o aplicativo de mensagens mais utilizado no mundo. Isso quer dizer que quase todos os seus clientes estão inseridos nessa estatística. E o seu negócio deve sempre ir aonde os seus clientes estão. Isso sem contar que não são necessárias horas de treinamento para os seus funcionários, uma vez que eles provavelmente já dominam a ferramenta.

Plataforma Web

Agora é fácil acessar o WhatsApp no computador, mesmo pra quem opera por iPhone, e agilizar o atendimento de forma confortável usando teclado e um monitor grande. Essa conveniência é crucial para quem irá lidar com muitas mensagens e precisa responder a todos de forma rápida e prática.

Cuidados necessários

Informalidade excessiva

Apesar da linguagem coloquial ser frequentemente propagada no aplicativo, a sua empresa deve manter minimamente o caráter formal ao dialogar com o comprador. Evite erros de português e contrações típicas da internet, como “vc” e “fds”. Uma boa solução é usar mensagens padrão para algumas solicitações, mas seja sutil e tenha cuidado para não pasteurizar o atendimento e perder uma das características do aplicativo: a informalidade.

Responda rapidamente

Você já deve ter passado pela situação de enviar uma mensagem urgente para um colega e ele só responder algumas horas depois. Pois é. Esse é um erro inadmissível para quem pretende lançar mão do aplicativo no atendimento ao cliente — até porque um dos grandes benefícios do atendimento via WhatsApp é acelerar o processo de venda. Então, antes de oficializar o uso do aplicativo, estude se você tem funcionários suficientes para executar o serviço com qualidade. E jamais atrase a resposta e a entrega, ok?

Estabeleça horários de atendimento

Pessoas ficam no WhatsApp até a madrugada e podem pensar que a sua empresa também. No entanto, se você não tiver uma equipe para atender nas altas horas, deixe bem claro o horário de atendimento. Assim, você evita confusões e críticas desnecessárias que podem ser propagadas em questão de segundos para outros usuários do aplicativo.

Enfim, mais importante do que aproveitar as vantagens de utilizar o WhatsApp para vendas é preparar a sua equipe e o seu negócio para executar a melhor estratégia para o aplicativo. Porque, no fim das contas, o que importa não é a rapidez ou apenas a quantidade de atendimentos, mas a qualidade e a satisfação do cliente.

Então, pretende usar o WhatsApp na sua loja? Assine a nossa newsletter se quiser ler mais a sobre esse e outros assuntos de e-commerce!

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on Twitter0Share on LinkedIn0
publicado por Renato Cruz em 24 ago 15